Caos intelectual como atitude mental

Caos intelectual como atitude mental

O ‘Caos intelectual’ é um processo mental de extrema importância para fugir das ideias automáticas que tomam conta da maioria de nossas decisões.

Algumas das características principais desta atitude mental são as seguintes:
  • O caos é a expansão das possibilidades e das barreiras criadas por ideias enraizadas. Permite a descontaminação da nossa interpretação o que resultará em novos paradigmas, novas maneiras de ver.
  • É a análise das variáveis de interpretação e adquirir uma postura crítica de como estamos acostumados a representar o ambiente.
  • Reorganizar continuamente a construção dos pensamentos automáticos e assim acontece o processo de reestruturação do conhecimento.

  • Liberdade de observar sem (pré) julgamentos e atenção constante do observar, procurando olhar para uma situação de várias maneiras, sem prender o olhar e sem basear a posição observativa em pressupostos cognitivos.
  • Livre produção de pensamentos. Estar constantemente em um processo de ‘brainstorming’
  • Revisão crítica da produção de ideias encontradas. Perguntar e criticar são sinais que levam a mente a novos rumos. Educar a aquisição de informação criticando aquilo que deve ou não ser aprendido. Expandir ou filtrar as ideias adquiridas.
  • Utilização do caos intelectual para esvaziar as distorções preconceituosas e referenciais históricos contidos no processo de formação da personalidade. O Caos possibilita expandir as possibilidades de compreensão e construção do conhecimento.
  • Análise dos sistemas que organizam a geração do funcionamento da mente e a construção das cadeias de pensamentos

O Caos intelectual é precedido pela ‘Arte da Pergunta’.
  • Perguntar é muito mais importante do que responder. A pergunta bem feita vai trazer a resposta precisa e não o inverso. Saber elaborar perguntas é de suma importância para a reavaliação do conhecimento.
  • Sempre é importante fazer as perguntas exatas. Para isso é necessário investir tempo para formular várias perguntas sobre a situação a ser resolvida.
  • Depois de formuladas, cabe o questionamento sobre as próprias perguntas feitas anteriormente. Esse processo vai expandir ainda mais as possibilidades para a resolução da situação.
  • A dúvida e o caos são necessários na formulação das perguntas. Desta forma, as respostas serão mais profundas e abrangentes e mais rica será a produção de pensamento e a reconstrução da memória.

A tarefa atual da arte é introduzir o caos na ordem. Theodor Adorno

Este processo é um dos muitos que acontece nos bastidores da mente. São de máxima importância para eliminar o que está impedindo, atrapalhando o funcionamento normal da mente.

Este Post é um ‘slice’ do livro ‘Inteligência Multifocal’ de Augusto Cury. Estarei compartilhando mais sobre este livro que me ajudou e me ajuda a melhorar a forma que eu vejo o mundo através do pensamento.

Escrever sobre o assunto me ajuda mais do que a quem lê pois sou eu que estou indo atrás do conhecimento e este processo de ‘ir atrás’ é de máxima importância para quem quer alcançar seja lá o que for.

Gostaria de comentar?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *